Bem-vindo ao site da UMA – Complexo Avançado de Diagnósticos

Categoria

Notícias

Mais uma vez o Complexo UMA inova quando o assunto é a sua saúde. Você já ouviu falar no conceito “one stop shop”? Fomos a primeira clínica de radiologia de Rio Preto a oferecer diversas soluções de saúde para o nosso cliente. A ideia é que você precisa “parar apenas em um lugar” para encontrar tudo aquilo que necessita.

Agora, além dos mais modernos diagnósticos por imagem, você tem disponível no Complexo Uma também exames laboratoriais.

Neste dia 19 de maio é comemorado o Dia Nacional de Combate à Cefaleia. A conscientização sobre como evitar a doença é muito importante, pois os números são alarmantes: 50% da população apresenta cefaleia durante um determinado ano e mais de 90% já apresentou história durante a vida.

A cefaleia, mais popularmente conhecida como dor de cabeça, pode ocorrer isoladamente, como sendo uma manifestação de uma crise de enxaqueca, por exemplo, ou ainda como sintoma de uma doença em desenvolvimento.

O conhecimento e diagnóstico correto da cefaleia e seus critérios diagnósticos, bem como a identificação correta do tipo de cefaleia que o paciente apresenta são fundamentais para o tratamento adequado.

Cefaleia primária e secundária

O diagnóstico diferencial é bastante extenso, com mais de 300 diferentes tipos e causas descritas na literatura mundial. As cefaleias classificam-se em duas categorias principais: primárias e secundárias.

Quando as cefaleias são ao mesmo tempo o sintoma e a própria doença que o indivíduo apresenta podemos classificá-las como primárias. Já quando a cefaleia faz parte de alguma doença, ela se apresenta como um sintoma desta patologia e é classificada como secundária.

Grande parte dos pacientes que procura o neurologista devido à cefaleia, ao final da consulta, são diagnosticados com cefaleias primárias e não secundárias. No entanto, nem sempre esta é uma tarefa simples.

Muitas vezes os sintomas clássicos da popular enxaqueca (dor de moderada a forte intensidade, unilateral, pulsátil, acompanhada de náuseas, vômitos, incômodo com a luz e barulho) podem constituir somente uma forte crise de enxaqueca, a qual pode ter sido precipitada por estresse, fatores hormonais, distúrbios do sono, mas também pode ser um sintoma de uma neoplasia intracraniana em desenvolvimento.

Diagnóstico Preciso

E agora? Como realizar o diagnóstico preciso da dor de cabeça que o paciente se queixa?

Existem alguns sinais de alerta para se suspeitar de cefaleias secundárias que devem chamar a atenção. Quando estes sinais são identificados é necessário uma investigação complementar, a qual é feita por meio de exames laboratoriais e de imagem.

Sinais de Alerta

* Dor de cabeça que se inicia após os 50 anos.

* Dor de cabeça que piora progressivamente.

* Dor de cabeça de início súbito.

* Dor de cabeça nunca sentida antes, ou seja, uma padrão de dor de cabeça diferente das anteriores que o paciente possa já ter apresentado.

* Dor de cabeça associada a sinal neurológico (fraqueza de um lado do corpo, desequilíbrio, perda de campo visual, entre outros sinais que devem ser avaliados durante a consulta médica).

* Dor de cabeça de instalação recente em pacientes que já tem o diagnóstico de câncer, HIV ou outra doença que afeta o sistema imunológico.

* Dor de cabeça associada a doença sistêmica, seja esta como comorbidade prévia ou não.

Diante do reconhecimento destes principais sinais a investigação complementar será dirigida pela suspeita realizada pelo neurologista.

Hoje dispomos de métodos de neuroimagem extremamente úteis e rápidos que sugerem com precisão informações sobre a estrutura e funcionalidade cerebral.

Desta maneira obtemos informações valiosas sobre tumores, aneurismas, hemorragias, trombose, implicando em maior acurácia diagnóstica e agilidade no tratamento do paciente diagnosticado com cefaleia secundária.

A dor de cabeça seja ela diagnosticada como primária ou secundária acaba causando piora na qualidade de vida do paciente, principalmente quando se torna crônica e o paciente começa a usar medicações analgésicas de forma contínua, indiscriminada e sem orientação médica.

Essa prática de auto medicação acarreta em atraso no diagnóstico e tratamento correto, além de falsear as características originais da dor.

Saber identificar os sinas de alarme e proceder com a investigação correta das cefaleias é imperativo para o sucesso do tratamento.

Dra. Andressa R. M. Galego

Neurologista e Neurofisiologista pela FAMERP

O AVC (Acidente Vascular Cerebral), popularmente conhecido como Derrame Cerebral, é uma urgência médica e necessita de tratamento imediato. Quanto antes diagnosticado, menos danos o paciente sofrerá.
Aqueles pacientes que chegam ao hospital nos primeiros 60 minutos de início dos sintomas, tem maior chance de se beneficiar com terapias de revascularização, evitando as sequelas.
As sequelas ocasionadas por um AVC são muitas, desde paralisias, déficit sensitivo, déficit de memória até alterações comportamentais.

Procure o seu médico e faça o diagnóstico preciso.

É muito comum que os sintomas do Alzheimer sejam confundidos com os do envelhecimento. Isso faz com que o paciente e sua família adiem a busca por uma orientação médica e, assim, a doença é diagnosticada tardiamente.
O diagnóstico precoce permite a introdução de tratamentos medicamentosos ou não medicamentosos, com impacto positivo para o paciente e na qualidade de vida dos familiares.

Procure seu médico e faça o diagnóstico preciso.
📞(17) 3214-4666
💻www.umaonline.com.br

Muita gente já ouviu falar em epilepsia, mas poucos sabem realmente o que é essa doença. A epilepsia é um distúrbio do cérebro e não é transmissível. Nos pacientes com epilepsia, as atividades das células nervosas são alteradas, causando descargas súbitas, desordenadas e excessivas nas células cerebrais, gerando as crises epilépticas. Um dos tipos mais comuns é a crise tônico-clônica generalizada, também chamada de “convulsão”. Esse tipo de crise é facilmente diagnosticada, pois o paciente apresenta contrações musculares generalizadas, confusão mental, salivação excessiva e, muitas vezes, morde a língua e perde urina e fezes.

Procure seu médico e faça o diagnóstico correto.

A maioria da população (99%) sente ou já sentiu dor de cabeça, a chamada cefaleia. Mas o que poucas pessoas sabem é que existem duas categorias principais de cefaleia: primárias e secundárias. Quando a cefaleia é, ao mesmo tempo, o sintoma e a própria doença do paciente, classificamos como primária, como a enxaqueca. Já quando a cefaleia é o sintoma de alguma doença, classificamos como secundária. Procure seu médico e faça o diagnóstico correto.

Procure o médico e faça um diagnóstico preciso.

Com um Corpo Clínico altamente especializado e tecnologias inovadoras, a UMA se tornou importante aliada nos diagnósticos médicos.

UMA, é um dos maiores e mais completos centros de diagnósticos de imagem do interior paulista. Atua desde Raio-X, Ultrassom, Biópsias guiadas por Tomo ou Ultrassom, Tomografia, Ressonância e inclui até mesmo anestesia, caso necessário. Nossos aparelhos de Ressonância possuem a maior abertura, nossa Tomografia é ultra rápida e com baixa radiação.

 

A Medicina Interna: pilar clínico hospitalar.

Por englobar diagnósticos e patologia dos vários órgãos e sistema, a Medicina Interna é o pilar clínico de qualquer unidade hospitalar. Os internistas dedicam-se não só a prevenção, mas também ao diagnóstico e ao tratamento de situações não cirúrgicas, bem como situações críticas onde existem falhas de diversos órgãos. Em paralelo com situações emergentes, a Medicina Interna estende a sua atividade aos cuidados paliativos em doenças crônicas.

Conheça nossa área de abrangência:

Ressonância Magnética de Pelve Feminina: É um exame que apresenta alta sensibilidade e especificidade para a detecção de endometriose e processos aderênciais.

Ressonância Magnética do Abdome Superior com Meio de Contraste Hepatoespecífico: Alia-se a grande capacidade da ressonância magnética na detecção de lesões hepáticas focais

Enterorressonância: Permite avaliar tumores no intestino delgado, sangramento intestinal oculto e obstrução intestinal. É isenta de radiação.

Colonoscopia Virtual: É uma técnica tomográfica não invasiva, segura, sem complicações e que não necessita de sedação nem anestesia.

Colangiorressonância: Altamente eficiente na avaliação da anatomia e das doenças das vias biliares intra e extra hepáticas, vesícula biliar e pâncreas.

Coloproctologia: também chamada de proctologia, é o estudo das doenças do intestino grosso, reto e ânus.

Gastroenterologia: é a especialidade médica que se ocupa do estudo, diagnóstico e tratamento clínico das doenças do aparelho digestivo.

A identificação confiável e precoce é fundamental na escolha entre as opções de tratamento, além de monitorar a evolução de doenças e avaliar as respostas às terapias. Exames específicos e seguros auxiliam com precisão os pacientes.

 

Conheça os médicos responsáveis por esta área:

Dra. Andréa Caires – CRM 108.376/SP – Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

Especialista em Radiologia pelo Colégio Brasileiro de Radiologia, com Residência Médica em Radiologia pela FAMERP/FUNFARME.

 

Dr. Pedro Bastos Felismino – CRM 106.720/SP

Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Residência Médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem pelo Instituto de Radiodinóstico Rio Preto LTDA.

Um dos mais modernos exames de diagnóstico por imagem é a Colonoscopia Virtual, já realizado com sucesso na UMA.
A Colonoscopia Virtual é utilizada para identificar sinais de câncer colo-retal e também para localizar pólipos no interior do intestino grosso, que podem ser pré-cancerosos.
O procedimento utiliza a tomografia computadorizada para obter imagens do intestino grosso. Após a realização da tomografia, um computador combinará as imagens dimensionais (2D) e tridimensionais (3D) do cólon e do reto.
Estimam-se no Brasil, para 2016, 16.660 casos novos de câncer de cólon e reto em homens e de 17.620 em mulheres. Estes valores correspondem a um risco estimado de 16,84 casos novos a cada 100 mil homens e 17,10 para cada 100 mil mulheres.
Segundo a médica, Andréa de Caires Souza, especialista em radiologia e diagnóstico por imagem da clínica UMA, a Colonoscopia Virtual permite o rastreio/diagnóstico precoce destas lesões, especialmente em doentes que não podem, ou não toleram, fazer colonoscopia convencional. Diferentemente da técnica convencional, a Colonoscopia Virtual é uma técnica não invasiva e segura, que não necessita de sedação nem anestesia, afirma a médica.
Já a colonoscopia convencional utiliza um colonoscópio, que é um longo tubo com uma luz. Este tubo flexível, que é colocado no interior do cólon e do reto, utiliza uma pequena câmara para enviar as imagens para um monitor de vídeo em tempo real. Normalmente é feita uma sedação do paciente com anestesia.

Como é que o exame é realizado

Após realizar um preparo prévio com medicações laxativas e dieta, o paciente é submetido a uma tomografia computadorizada da região abdominal. Imediatamente antes do exame é introduzido ar no interior do seu intestino através de uma pequena sonda colocada no reto. O tempo total para realização deste exame é cerca de quinze minutos.

Agendamento

Agende seu exame aqui.

Ligue, Agende! 17 3214-4666