Bem-vindo ao site da UMA – Complexo Avançado de Diagnósticos

Arquivos

Complexo Uma

A Trombose Venosa Profunda é uma patologia de enorme impacto na nossa sociedade, tanto por sua alta prevalência como por ser um acometimento potencialmente grave.
Ela é causada pela formação de coágulos no interior dos vasos nos membros inferiores e superiores, obstruindo o retorno do sangue pelas veias até o coração.
Além disso, esses coágulos podem se formar por vários motivos. A principal causa é a imobilidade prolongada que leva falta de movimentação do sangue dentro da veia, seja por longas viagens na mesma posição ou pela necessidade do paciente de ficar acamado.

Fatores de risco

Há fatores de risco que podem aumentar a chance de sua ocorrência. Por exemplo, o tabagismo, obesidade, uso de contraceptivos e desidratação.
Suas complicações podem acontecer no curto ou longo prazo:
– a curto prazo,  pode acontecer o desprendimento deste coágulo e sua migração até a artéria que leva sangue aos pulmões, o chamado tromboembolismo pulmonar;
– a longo prazo, pode levar a insuficiência venosa crônica, por destruição das paredes dos vasos causando ineficiência da sua função.

Conheça os sintomas

  • Dor nas pernas, principalmente nas panturrilhas, podendo chegar até o pé e o tornozelo
  • Sensação de queimação na região afetada
  • Mudanças na cor da pele da região afetada pela doença, que começa a ficar vermelha ou azul
  • Edema (inchaço) na perna afetada;
  • Rigidez da musculatura perto da região do trombo

Há, contudo, outras patologias que causam os mesmos sintomas.  Estudos realizados nos últimos 30 anos mostram que cerca de 70% dos pacientes com os sintomas acima descritos e com hipótese diagnóstica de trombose venosa profunda, na verdade apresentam outra patologia.
Portanto, é extremamente necessária a realização de exames para comprovação desta doença. Pois, o tratamento da trombose venosa profunda é longo e pode apresentar alguns efeitos colaterais e riscos.

Diagnóstico

O exame de eleição para diagnóstico do tromboembolismo pulmonar é a ultrassonografia com doppler venoso profundo dos membros inferiores.
Ele é realizado por meio de aparelhos com alta tecnologia e transdutores dedicados ao estudo com doppler dos vasos.
Ao realizar o exames é muito importante o acompanhamento de um especialista em vascular. Ele ajuda na identificação dos fatores de risco e investigação de eventuais complicações a longo prazo, além de prevenção de novos eventos semelhantes.

A UMA dispõe de aparelhos e médicos especializados para detecção de trombose venosa profunda, seja em membros inferiores como superiores.

Dra. Maísa Hernandes Pardo

 

Prêmio Mulher Empreendedora

A diretora-presidente da UMA, Mariane Spotti, vence o prêmio Acirp 2019 na categoria Mulher Empreendedora

Estamos em clima de comemoração. A fundadora e diretora-presidente da UMA, a médica Mariane Spotti, 40, é a vencedora do Prêmio ACIRP 2019, na categoria Mulher Empreendedora. Esta é a maior premiação empresarial do interior do Estado de São Paulo

O Diploma de Mérito da Acirp será entregue durante a Noite Empresarial no dia 30 de agosto de 2019, no Villa Conte, a partir das 20h.

A categoria Mulher Empreendedora avalia a trajetória de vida de grandes mulheres. Ela leva em consideração os obstáculos e os desafios enfrentados pela empresária e todo o investimento feito por ela em capacitação profissional para si e seus colaboradores, contribuindo diretamente para o desenvolvimento de São José do Rio Preto e o crescimento de sua empresa.

Formação médica

Natural de São José do Rio Preto, Mariane é filha do médico neurocirurgião Antônio Ronaldo Spotti, profissional de grande expressão na área médica.

Formada pela Faculdade Federal de Medicina do Rio de Janeiro (UNIRIO), cursou três diferentes especializações médicas: a primeira em Medicina do Esporte, depois em Cardiologia e, por último, em Imagem Cardiovascular.
Trabalhou no Hospital Barra D’OR como coordenadora da Imagem cardiológica (Tomografia e Ressonância) e ainda hoje ministra aulas em pós-graduações em Cardiologia, no Rio de Janeiro.

Reviravolta

Morando na cidade carioca há mais de 13 anos e bem estabelecida profissionalmente em um dos maiores hospitais da capital, ainda buscava algo a mais.
Em 2011, decidiu retornar à sua cidade natal para desenvolver seus próprios projetos profissionais e pessoais. Na ocasião, recebeu o convite para criar um novo setor de exames em uma empresa de diagnóstico da cidade, na época de grande tradição, e foi contratada pelo Hospital de Base de São José do Rio Preto para inovar também o setor de exames do coração.

Mariane relata que, em meados de 2012, passou por um grande dilema profissional: assumir uma sucessão de uma grande e consolidada empresa médica, porém, sem a perspectiva de cargo de direção ou gestão; ou fazer seu próprio negócio na área de diagnóstico por imagem – começando do zero, mas com liberdade de desenvolver seus valores e implementando seu modelo mental.

Nasce a empreendedora

A decisão foi pela fundação da UMA. Junto de seu pai, fez o convite para dez médicos radiologistas reconhecidos em suas áreas de formação para formarem o time da empresa. Assim, a UMA nasceu e tomou corpo.

A construção do prédio da empresa começou em 2013. O projeto e a execução da obra foram feitos com uma equipe de empreiteiros sob o comando de Mariane, que também trabalhava com construção civil.

Ao terminar a obra, a empresa iniciou sua operação em janeiro de 2015, no mesmo mês que a médica deu luz a gêmeos. Mesmo assim, permaneceu na direção da UMA desde a sua inauguração até o momento atual.

A alma empreendedora somada a uma energia sem fim descrevem esta mulher de projetos. “O sentido de uma empresa no segmento da saúde é poder devolver a comunidade o seu bem mais precioso: a qualidade de vida.
Premiação acirrada

Prêmio Acirp

A disputa é acirrada. São oito categorias para se inscrever. O Prêmio é democraticamente aberto a todas as empresas associadas à entidade. O processo que contempla as empresas com o Diploma de Mérito é rigoroso, criterioso, ético e, acima de tudo, transparente.
Uma comissão de diretores avalia, sob o rigor e a transparência os questionários respondidos pelas empresas inscritas.

“São premiadas empresas que, juntas, mantêm um público consumidor diversificado, realizam negócios com diversos Estados do Brasil, geram centenas de empregos diretos, realizam investimentos em infraestrutura e tecnologia e possuem décadas de tradição no mercado”, explica o presidente da Acirp, Paulo Sader.

A candidatura se fez pelo preenchimento de um formulário com 40 itens que fazem parte de um total de sete quesitos que englobam. Todas as respostas são pontuadas. A empresa vencedora é aquela que acumula o maior número de pontos.

“A diversidade da nossa economia, sua dinâmica junto a diferentes setores e o empreendedorismo de seus dirigentes também são avaliados, já que demonstram a competitividade de nossas empresas”, completa Paulo Sader.

Documentação ortodôntica

Dentista analisa a radiografia odontológica, que faz parte da documentação ortodôntica

Então, quando você decide que é hora de colocar aparelho ortodôntico a primeira etapa é consultar um dentista especializado. Após o exame clínico, ele, primeiramente, irá solicitar uma documentação ortodôntica que irá guiar o tratamento do paciente.

É importante lembrar que, colocar aparelho por estética, comprados em camelôs, ou sem nenhum exame prévio pode trazer muito mais problema do que o que já existia ou pior, pode estragar um sorriso que era perfeito.

Na Uma Odonto, existem três tipos de documentação ortodôntica solicitadas pelo dentista:
• Econômica
• Simplificada
• Completa

Isto porque, cada um desses modelos apresenta uma seleção de documentos exigidos para o planejamento ortodôntico do paciente, dependendo do grau de complexidade de cada tratamento, afirma a dentista Ana Carolina Garzon, especialista em radiologia odontológica da UMA.

A documentação ortodôntica é composta de:

Radiografia panorâmica (em que todos os dentes podem ser observados);
Telerradiografia Lateral (em que se observa a cabeça do paciente lateralmente);
Periapicais (radiografias dos incisivos);
Radiografia Carpal ou Mão e Punho (para identificar a idade óssea do paciente, especialmente em crianças e adolescentes);
Modelos de gesso;
Fotografias intra e extra-bucais.

Contudo, alguns ortodontistas podem pedir também exames específicos para cada caso, como tomografias e radiografias para avaliação de assimetrias ou de outras alterações, afirma a dentista Ana Carolina.

Veja pra que serve cada radiografia na ortodontia

  • Telerradiografia lateral – para avaliar o crescimento e o desenvolvimento da face do paciente.
  • Radiografias periapicais – mostram se o paciente apresenta algum tipo de comprometimento nas raízes dos incisivos (dentes da frente), pois esses dentes podem sofrer reabsorções radiculares durante o tratamento ortodôntico. O acompanhamento radiográfico deles durante o tratamento é muito importante.
  • Radiografias panorâmicas são importantes para a avaliação de dentes fora de posição, dentes que não se desenvolvem e dentes que se desenvolveram em maior número que o normal. Além disso, muitos achados incidentais podem acontecer nesses exames. Esses achados são problemas e doenças que são detectados por acaso. A saber, existem casos de tumores ou lesões que já foram encontradas em exames para ortodontia.

Resultado

O tratamento ortodôntico é um processo que pode levar algum tempo. Por isso, o registro de como o paciente se encontrava no início do tratamento é extremamente importante para a avaliação de como ficou o resultado.

Fontes:

Dra. Ana Carolina Garzon – especialista em radiologia odontológica da UMA
Blog Ortodontia Descomplicada

Agendamento

Agende seu exame aqui.

Ligue, Agende! 17 3214-4666